Blog do Memorial Menezes Pimentel montado na Biblioteca Pública Governador Menezes Pimentel (BPGMP) em Fortaleza, Ceará, um equipamento cultural da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará. O Memorial em homenagem ao Governado Menezes Pimentel conta através de fotos, documentos e objetos a história do patrono da BPGMP, que foi interventor, advogado, educador, membro da Academia Cearense de Letras e governador do Estado.

terça-feira, 5 de março de 2013

Memorial Menezes Pimentel







Blog do Memorial Menezes Pimentel montado na Biblioteca Pública Governador Menezes Pimentel (BPGMP) em Fortaleza, Ceará, um equipamento cultural da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará.

O Memorial em homenagem ao Governado Menezes Pimentel conta através de fotos, documentos e objetos a história do patrono da BPGMP, que foi interventor, advogado, educador, membro da Academia Cearense de Letras e governador do Estado. 




APRESENTAÇÃO

Numa época de franca descrença na política – erroneamente compreendida apenas em sua dimensão partidária –, qual o lugar da memória de um homem público, naturalmente mais exposto que a maioria às contradições inerentes à existência social? Se a política, como dizia o saudoso parlamentar gaúcho Raul Pilla (1892-1973), é a mais bela e a mais feia, a mais nobre e a mais desprezível das atividades humanas e se seu equilíbrio com a moral ainda parece ser provisório e instável, não é possível (nem desejável), fazer da história daqueles que a praticaram de maneira mais direta uma sucessão de fatos nobilitantes e nem uma peça processual receada de acusações de conotação ideológica, ignorando (ou omitindo) que os homens, como defendeu Marx, não são sujeitos de sua própria história, agindo sob circunstâncias que estão além do seu controle efetivo.
O ex-governador Francisco de Meneses Pimentel (1887-1973) não fugiu a essa regra: quiteriense nascido no crepúsculo da monarquia brasileira, viveu um dos períodos mais conturbados não apenas da política brasileira, mas de um mundo que logo precipitar-se-ia em duas guerras mundiais e no acirramento de posições ideológicas que alimentariam regimes autoritários e outros conflitos bélicos ao redor do planeta.
Ingressando relativamente tarde na vida política, aos 41 anos, como deputado estadual, o advogado (de formação), jornalista (ex-redator dos jornais O Nordeste e O Estado), professor de Direito Romano, diretor da Faculdade de Direito do Ceará (atualmente integrada à Universidade Federal do Ceará) e magistrado (ex-juiz do Tribunal Eleitoral do Ceará, entre os anos de 1931 e 1933), Meneses Pimentel logo ascendeu ao governo do Estado, sendo eleito indiretamente, com forte apoio da LEC (Liga Eleitoral Católica), organização conservadora ligada à Igreja Católica, que apoiou o ex-prefeito Raimundo Alencar de Araripe para as eleições diretas que tiveram lugar em 1936, e que foi mantido no cargo após o golpe de 1937, quando Meneses Pimentel foi nomeado interventor do Estado, mandato que se estenderia até 1950, quando elegeu-se deputado federal por duas legislaturas seguidas (1950-1954; 1954-1958). Na Câmara dos Deputados, presidiu por diversas vezes a Comissão de Educação e Cultura, sendo, aliás, fundador e diretor do Ginásio São Luis, em Fortaleza. Tendo sua atuação como parlamentar reconhecida, foi convidado pelo ex-presidente Nereu Ramos para ocupar o cargo de Ministro da Justiça, pasta pela qual Meneses Pimentel foi responsável entre os anos de 1955 e 1956.
Eleito senador por duas legislaturas seguidas (1959-1967; 1967-1971), ocupou mais uma vez a presidência da Comissão de Educação e Cultura. Tendo a carreira abreviada por problemas de saúde, faleceu em 1973, aos 86 anos, na cidade do Rio de Janeiro. Em sua homenagem, e em reconhecimento do seu empenho em prol da educação e da cultura durante toda sua vida política e intelectual (foi inclusive admitido como membro da Academia Cearense de Letras) a Biblioteca Pública do Ceará foi batizada com seu nome pelo ex-governador Waldemar Alcântara.  
Às vésperas dos quarenta anos do desaparecimento do eminente político cearense, a Biblioteca Pública Meneses Pimentel apresenta uma exposição em sua homenagem, contando com o acervo doado pela família à instituição, são réplicas de documentos históricos que contam um pouco da história política do Ceará e de um homem que viveu conforme as circunstâncias do seu tempo, defendendo aquilo que acreditava e contribuindo, a sua maneira, para o progresso cultural do Ceará.  Gabriel Petter, 2012



Equipe técnica

Camila Vasconcelos: Curadoria
Gabriel Petter: Texto de apresentação
Gabrielly Pamela: Curadoria
Ianna Edwirges: Curadoria
Myreika Falcão: Coordenação
Silmara Ravyna: Curadoria 
Wigna Farias: Curadoria



http://www.cursos24horas.com.br/parceiro.asp?cod=promocao123720

Nenhum comentário:

Postar um comentário